Due Vita Saúde: Tipos de Parto

O tema desta quarta é um assunto que interessa a todas as futuras mamães, sem restrições: O PARTO! Afinal, não tem jeito, todas as gestantes terão que passar por esse momento.

Mas, você já parou para pensar nos tipos de parto que existem? Pelo menos de dois você já deve ter ouvido falar: parto normal e parto cesariano. Hoje você vai conhecer outros tipos.

Encontramos no site do Governo Federal  informações sobre o trabalho de parto e como funciona o Sistema Único de Saúde (SUS) para as gestantes brasileiras. Confira =D

Tipos de Parto

Parto Normal É mais seguro que o parto cesariano, pois oferece menos riscos de infecção, hemorragia e prematuridade do bebê. Com um acompanhamento adequado, de pré-natal e pré-parto, é possível ter um bom desenvolvimento deste procedimento. Em casos de dor excessiva, medicamentos não farmacológicos são indicados. Ele deve ser o mais natural possível, na posição e onde a gestante desejar.

Parto Domiciliar – Como o nome diz, o parto é realizado em casa com gestantes de baixo risco. Deve ser conduzido por um médico ou enfermeiro-obstetra. Em algumas regiões de campo ou floresta, muitas crianças nascem pelas mãos de parteiras tradicionais, que de forma voluntária, ajudam outras mulheres no parto. Nos centros urbanos, também existem mulheres que realizam este trabalho.

Parto com fórceps ou Vácuo Extrator – Estes nomes assuntam muitas gestantes, porque se tratam de partos em medidas emergenciais e de risco. O fórceps é como uma pinça que ajuda a tirar a criança do útero e finalizar o parto com segurança. O vácuo extrator tem a mesma função, mas com formato diferente. A utilização de ambos depende da posição em que o bebê se encontra.

Parto na Água – O parto é natural ou normal e a mãe dá à luz em uma banheira com água morna, que auxilia no alívio das dores. Deve sempre ser acompanhado por médico ou enfermeiro-obstetra e não é indicado para gestantes com diabetes, hipertensão, HIV positivo, hepatite B, herpes genital ativo ou bebês acima dos 4 quilos.

Parto de Cócoras – O parto é normal ou natural e a mãe fica de cócoras em uma cadeira ou banco especial. A força da gravidade facilita que o bebê nasça e alivia as dores das contrações.

Cesárea - No Brasil, 34% dos partos são cesarianos. No entanto, a OMS recomenda que, por ser cirúrgico, esses casos não ultrapassem 15%. Em posições inadequadas do feto ou partos de risco, as cesarianas são recomendadas.

O SUS realiza diversos partos por dia. Entenda, por esse vídeo, como ocorre o atendimento ao longo dos nove meses.

The video cannot be shown at the moment. Please try again later.

Como diriam os mais antigos, uma boa hora para você!

Um beijo ♥

A hora chegou. E agora?

A hora está chegando. Você está muito ansiosa? É normal. O bebê é considerado perfeito na 38ª semana de gestação.

Nestes últimos dias, fica cada vez mais difícil dormir e caminhar. Uma posição confortável é quase impossível. Caso você não tenha marcado o parto cesariano, chegou a hora de esperar.

O médico fará uma previsão da data do nascimento do seu baby. E pode ser dias a menos ou dias a mais. Isso varia de mulher para mulher.

Geralmente, depois do dia previsto, são esperadas, no máximo, duas semanas. Isso quer dizer que você não precisa se desesperar. É normal!

Hoje, vamos falar sobre esse momento de espera que deixa as gravidinhas tão ansiosas e os bebês prontos para chegar ao mundo.

Chegou a data prevista para o parto..

O bebê já está pronto para nascer, mas pode ser que ele não nasça. A partir de agora, sua rotina muda, porque seu corpo está se preparando para o parto. Por isso, não adianta: você precisa estar alerta 24 horas e esperar os sinais.

Para as mamães que compartilham com a Due Vita este momento tão especial de suas vidas, muita calmaa! A hora está chegando e estamos tão ansiosos quanto vocês.

Na foto, as mamães Gisele Küster Borda, Izabella Filatieri, Renata Rodrigues Barros e Bia Carvalho. Todas usando Due Vita.

Como saber se a hora do parto chegou?

As contrações começam em tempos espaçados, depois vão aumentando e ficando cada vez mais próximas

Pode ocorrer uma dor parecida com a cólica menstrual e aumentam as dores na região lombar das costas

O “sinal” são corrimentos de sangue ou secreção amarronzada. Isso quer dizer o trabalho de parto já começou ou está quase lá

Se a sua bolsa romper, você entrará em trabalho de parto se tiver contrações. Caso não haja, você passará por uma indução ou uma cesariana.

Consulte o seu médico sempre que algo diferente acontecer. Não hesite em acordá-lo no meio da noite ou ir correndo para o hospital. E prepare-se: suas noites de sono estão com as horas contadas!

Porque a partir de agora, o amor da sua vida precisará de você o tempo todo.

Para todas vocês, uma boa hora.

Até amanhã,

Beijos!

Parto na Água: a emersão do amor



No post de terça-feira passada falamos sobre parto humanizado. Como prometido, hoje nós vamos falar de parto na água, uma maneira natural de dar à luz ao seu bebê

Dentro da água pode ser diferente, mas é uma das formas de colocar em prática o parto humanizado. Sem anestesias, medicamentos ou camas de hospital. A posição é escolhida pela mãe, que fica submersa em uma banheira com água morna e acompanhada por pessoas de sua escolha.

A temperatura da água é um dos principais fatores que aliviam as dores do parto. A presença de um acompanhante dentro da banheira, também dá segurança para a mulher. Geralmente, os maridos mais corajosos auxiliam no processo, ajudando, inclusive, a segurar o bebê quando ele nasce.

O Parto

Pode ser em casa ou no hospital, como outros partos normais. Não há anestesia ou medicamentos. A mulher fica em uma banheiro com água em temperatura de 36°C.

É bom para a criança?

O nascimento na água é natural para o bebê, que continua na mesma condição que estava no útero da mãe. E não se preocupe, não há riscos de afogamento.

É bom para a mãe?

A temperatura alivia a dor da contração, diminui o nervosismo, aumenta a irrigação sanguínea, relaxa a musculatura e, com isso, facilita a saída do bebê.

Contra-Indicação

Em caso de gravidez de risco, em que a mãe e o bebê precisam de monitoração ou se o bebê for grande demais.

Primeiro em Londrina

Em Londrina, Alice foi o primeiro bebê a nascer dentro da água em um hospital da cidade. Sua mãe, Andrea Pimenta, falou sobre a experiência e a emoção do nascimento. Confira!



Gostou da ideia? Na próxima consulta, troque uma ideia e tire suas dúvidas com o seu médico!

Fontes:

Parto no Brasil

Grávidas.org

Parto Humanizado

Engravidar é o início de um novo ciclo de vida que acontece a partir de você. O instante em que o bebê vem ao mundo é o começo das experiências dele com o que é novo. E o momento em que a mãe dá a luz, deve ser inesquecível e natural na vida dela e da criança.

Pensando nisso, muitas pesquisas e iniciativas incentivam o parto humanizado. Ao contrário do que pensam, não é um novo tipo de parto, mas sim um ato de respeito à mulher e ao seu corpo.

Em partos de baixo risco, a Organização Mundial da Saúde e o Ministério da Saúde orientam os hospitais que o procedimento seja o mais natural possível. Isso quer dizer a redução de medicamentos, de tecnologias e intervenções médicas.

O parto humanizado se aproxima dos realizados pelas parteiras, que deixam a mulher à vontade para ter o bebê, respeitando suas dores e seu tempo. Quando realizado em casa, por oferecer suporte emocional que um parto necessita, tranqüilizam a mãe e o bebê.

A liberdade de posição para dar a luz vai contra algumas ações de hospitais em que a mulher é amarrada ou presa à cama, não podendo se movimentar livremente durante o parto. É direito da gestante encontrar uma maneira de se sentir a vontade e diminuir os impactos e traumas que podem ser causados.

No post da semana que vem, vamos falar sobre o parto na água, que está ganhando espaço e se tornando uma alternativa diferente e especial do parto humanizado.

Na próxima visita ao seu obstetra, coloque em pauta essa nova alternativa.

Assista a uma reportagem especial feita pelo programa Mais Você, da Rede Globo.

httpv://www.youtube.com/watch?v=Jtx1f3v7atc#stepSize=-1