Grávida ao volante

São muitos os cuidados e dúvidas que chegam junto a gravidez. Uma delas é o automóvel: como colocar o cinto de segurança? Air-bag é perigoso? Na vida moderna que levamos, o carro se tornou um importante item dentro dos lares e na gravidez ele também se faz presente. A gestante continua com a sua rotina e para isso utiliza o seu automóvel. Se estiver dirigindo, é importante deixar cerca de 15cm entre a barriga e o volante. Para trajetos mais longos, escolha roupas confortáveis e faça uma parada para esticar as pernas a cada 100 km percorrido. O cinto de segurança deve de, no mínimo, três pontos e sempre passar abaixo da barriga e entre as mamas, para a faixa diagonal. Em casos de gravidez de risco, o melhor é viajar no banco traseiro, sempre com o cinto de três pontos. Confira no gráfico como usar o cinto: Apesar de não existirem estudos que confirmem o risco de airbags para as grávidas, alguns fabricantes aconselham a não se sentarem no banco da frente de automóveis que disponham do sistema. O programa Bom Dia Paraná fez uma matéria interessante sobre grávidas no volante. Assista a matéria aqui.

Oficinas com Cláudia Rodrigues

A Due Vita teve a honra de poder colaborar com o evento Oficinas com Cláudia Rodrigues, que ocorreu nos dia 20 e 21 de abril, em Londrina/PR. Dois dias onde futuras mamães puderam aprender mais sobre gestação e parto e também dividir experiências desta fase tão linda da vida!

As oficinas aconteceram com a jornalista e terapeuta Cláudia Rodrigues, autora dos livros: “O Lado Esquerdo da Asa da Borboleta Amarela” e “Bebês de Mamães Mais que Perfeitas”. O trabalho de Cláudia é focado no universo psíquico das diversas fases de desenvolvimento do ser humano.

A primeira oficina, no dia 20, foi sobre Gestação, Parto e Simbiose, na qual foi abordada as nuances deste período para as mulheres. No dia 21, foi a oficina de Inscrições Corporais onde as mamães puderam aprender mais sobre a infância, desde o nascimento até os seis anos, e como poder ajudar as crianças a se desenvolver melhor emocionalmente.

Foram dois dias maravilhosos, com muito conteúdo teórico e prático e vivências sensoriais que já ajudaram uma gestante que entrou em trabalho de parto no dia 21/04 – ela completou 40 semanas no dia 20.

Eventos educativos como este, que auxiliam as futuras mamães em um ambiente de descontração e carinho, a Due Vita se alegra em participar de iniciativas como essa.

Os benefícios da Ioga na gravidez

A gravidez é com certeza um período de transformações na vida da mulher. E muitas vezes, essas transformações geram curiosidade, afinal todo o seu corpo e seu organismo estão se modificando para acomodar o bebê. Transformações físicas e psicológicas que os exercícios proporcionados pela ioga podem muitas vezes ajudar.



A ioga para gestantes, ou ioga pré-natal, trabalha os tradicionais elementos da ioga tradicional, mas adaptados para atender as necessidades da gravidez, como postura, relaxamento, meditação e alongamento.

Os alongamentos realizados na ioga são um dos maiores benefícios para a nova mamãe. Porque com o aumento da barriga, o ponto de equilíbrio da gestante se desloca para frente, forçando alguns músculos que antes não eram utilizados.

A ioga também ajuda a preparar a gestante para o momento do nascimento do bebê. Além de ajudar na concentração e na respiração adequada, deixando a gestante mais tranquila no momento do parto, também auxilia na abertura dos quadris. Algumas mamães realizam estas técnicas de respiração já nas primeiras contrações.

Outras vantagens da ioga é a diminuição do inchaço, tonificação dos músculos e alívio da dor na região da lombar e das costas.

A ioga ensina a grávida a escutar o próprio corpo. Mas apesar de oferecer tantos benefícios é bom consultar um obstetra antes de começar qualquer curso voltado ao pré-natal.

Vamos continuar nos exercitando para garantir saúde tanto para nós quanto para o bebê!

E você? Faz prática de algum exercício físico? Compartilhe com a gente a sua experiência.

Dicas para amenizar o inchaço

Anéis e pulseiras que já não entram mais, a sandália que uma vez era confortável agora aperta os pés, pernas mais pesadas. Essas são algumas das características associadas ao inchaço.

Chamado pelos médicos de edema, o inchaço acontece por causa da retenção de líquidos e a má circulação do sangue por conta do útero, que está acompanhado o crescimento do bebê, e comprime os vasos localizados na região da bacia.

O inchaço na gravidez é normal, mas há como ser diminuído e até mesmo evitado. Com o calor, os cuidados com a beleza das gestantes são redobrados, pois com a alta temperatura os inchaços e pressão baixa podem se tornar constantes. Sendo assim, a nossa primeira dica é: beba muito líquido! Sucos, sopas, chás (prefira os sem cafeína, como de erva-doca e cidreira) e, claro, água estão liberados. Hidratar-se é extremamente importante para a nova mamãe! Ameniza a sensação de calor, previne os inchaços e também a pressão baixa.

Máscaras de argila também são ótimas para aliviar o sintoma do inchaço e deixar a pele hidratada. Passe no corpo todo e espere cerca de 20 minutos. Você pode encontrar argila em pó em farmácias de produtos naturais e adicionar um pouco de água.

A sua alimentação também pode contribuir para a diminuição do inchaço. Reduza o sal da sua dieta. O sal ajuda a reter o líquido do organismo, provocando o inchaço.

À noite, o desconforto provocado pelo inchaço é maior, já que a gestante permaneceu em pé durante o dia. Coloque um travesseiro embaixo do colchão para com que as pernas fiquem igualmente elevadas durante o sono.

A mamãe deve ficar em alerta quando o inchaço for muito intenso nas mãos, braços e rosto, houver formigamento, limitação de movimentos dos dedos das mãos e dores na região da nuca. Esses sintomas podem ser associados a problemas renais como diabetes gestacional ou pressão alta. Em casos como estes, é bom procurar ajuda médica.

Vamos aproveitar o calor sem inchaço!