5 dicas para dar banho em seu bebê

Amanhã, oficialmente, começa o inverno brasileiro! Mas o friozinho já nos proporcionou sua graça há alguns dias em algumas cidades do Brasil. Com a chegada do frio, uma tarefa simples se torna um pouco mais complicada: dar banho no bebê! Mas para facilitar um pouco esse processo na temporada mais preguiçosa do ano, a gente elaborou cinco dicas para você deixar o seu bebê limpinho e cheirosinho!

Dica 1
Leve tudo o que irá precisar para o banheiro: roupinhas, toalhas, produtos de higiene, etc. para não expor o bebê ao choque térmico. Se você tem a banheira do bebê, sugerimos que também que a coloque no banheiro, pois se ocorrer algum vazamento (e a gente sabe que bebês se mexem bastante!) vai ser mais fácil arrumar a bagunça. Prefira os horários mais quentes do dia para dar banho no bebê, perto das 12h.

Dica 2
Limpe os olhos, nariz e bumbum com um algodão e água morna antes de colocá-lo na banheira. O cordão umbilical também deve ser higienizado com um hastes de algodão umedecido em álcool 70%.

Dica 3
Certifique-se de que a água da banheira está entre 36ºC ou 37ºC com um termômetro. Uma vez que você colocar o seu bebê na banheira, não deixe de segurá-lo por nenhum momento! E deixe-o submerso até o tórax para poder manter a temperatura.

Dica 4
Depois de colocá-lo na banheira, jogue somente água, delicadamente, no rosto do bebê. Feito isso, comece lavando os cabelos com xampu próprio para bebês e depois o corpo com sabonete de glicerina, pois mantêm o PH natural da pele.

Dica 5
Bebês são cheios de dobrinhas! Por isso, certifique-se que cada uma delas seja bem secada com a toalha (de preferência as toalhas-fralda, pois são mais macias) para evitar assaduras. Para trocá-lo, certifique-se que a superfície não esteja gelada. Você pode levar somente o colchão do trocador para o banheiro e colocar uma toalha seca sobre ele. Se a pele do bebê estiver ressecada, passe um creme indicado pelo pediatra.

Aproveite cada momento com o seu bebê para dar carinho! Um simples banho pode se tornar uma experiência muito gostosa!

Meu filho quer um animal de estimação! E agora?

A gente sabe que um animal faz toda a diferença na dinâmica de uma família! Eles trazem alegrias, responsabilidades e muito amor! Mas é preciso fazer a escolha certa do bichinho e também estar ciente dos cuidados que ele exigirá. O seu filho está querendo um animalzinho de estimação e você está na dúvida? Esse post é para você!

Assim como o seu filho, um animal precisa de atenção, carinho e cuidados, e isso deve ser esclarecido e estimulado pelos pais para a criança. Dependendo da idade da criança, ela poderá ficar encarregada, com a ajuda de um adulto, de cuidar do ambiente de seu animalzinho, mantendo-o limpo, e alimentado. Isso trará mais autonomia para ela e também mais afetividade e respeito com os animais. Algo que todos devemos aprender. O convívio com animais de estimação torna a criança mais afetuosa, sociável e justa.

Há também o fato da perda do animal e como a criança irá lidar com a dor. Claro que dependerá da idade do seu filho e da afinidade que ele tinha com o seu pet, mas é importante para os pais sempre serem honestos (não inventando histórias de que o bichinho se perdeu) e encorajar o seu filho a expressar seus sentimentos. É um momento de aprendizado para o seu filho e que se trata de um processo natural da vida.

Sabemos que ultimamente os fatores econômicos não estão lá muito bons para nós, por isso avalie a sua situação e seus recursos, pois um animal exigirá custos. A crise econômica é um dos fatores que levam muitas famílias a abandonarem seus animais. Isso além de cruel é crime previsto no Código Penal.

E você sabia que o bebê que convive desde cedo com cães e gatos são menos propensos a desenvolver alergia aos animais ao longo da vida? Isso porque o convívio com esses tipos de animais estimula o organismo a se defender de outras alergias.
Existem diversos tipos de bichinhos, como coelhos, passarinhos, peixes e hamsters, sendo cães e gatos os mais comuns. A escolha será dos papais e mamães que irão julgar qual animal se encaixará melhor em seu convívio com a família. Uma dica é procurar um veterinário e esclarecer todas as dúvidas sobre o bichinho, principalmente quanto às zoonoses (doenças que são transmitidas dos animais para os seres humanos).

E aí papais, estavam na dúvida de aceitarem ou não um novo membro na família? Compartilhe com a gente se você já tem um animalzinho ou se está pensando em adquirir um!

Dicas para fazer o seu bebê dormir

Qual das mamães se identifica com este cenário: você teve várias atividades durante o dia, já está sentindo o cansaço bater na sua porta e quando chega a noite, no momento de um merecido descanso… começa um novo trabalho: fazer o bebê dormir.

Os recém-nascidos dormem cerca de 17 – 18 horas por dia nas primeiras semanas de vida, porém, essas horas são fracionadas em três ou quatro de sono corrido, ou seja, a mamãe (e o papai também) não terá muito tempo de sono seguido! Claro, toda regra há exceção, mas para garantir uma noite mais descansada é preciso estabelecer rotinas desde cedo.

Aqui vão algumas dicas:

* Estabeleça rituais e prenda-se a eles! Ler livros juntos, dar um banho relaxante, entre outras atividades que os pais podem achar mais adequadas, mas o importante é não tentar fazer a criança dormir nesse estágio. O intuito é criar uma oportunidade para com que o sono chegue. Mesmo que algum dia você chegue atrasada (o) do trabalho em casa, honre os horários estabelecidos e procure outras oportunidades para ficar com ela, por mais doloroso que possa ser.

* Não brinque muito com o bebê na hora de fazê-lo dormir. Isso pode deixá-lo mais exaltado.

* Procure não chacoalhar muito o bebê, pois mais tarde ele irá ganhar peso e dificultará o processo uma vez que ele se acostumar.

 

Quando o seu bebê tiver por volta de duas semanas, ele já poderá ser ensinado a distinguir o dia pela noite. Durante o dia, você pode tentar:

* Manter a casa bem iluminada.

* Não se preocupar com barulhos domésticos, como telefones, TVs e aspiradores de pó.

* Se ele acostumar a tirar uma soneca após as mamadas acorde-o e procure distraí-lo conversado e cantando para ele.

* Brinque o máximo que puder com ele!

Outra dica para fazer o seu bebê dormir tranquilamente é inserir sons que o acalmem. O barulho uterino parece poder ajudar a confortar o bebê (afinal, o seu útero foi o primeiro lugar que ele conheceu). Algumas mamães dizem que funciona… não custa tentar, não é mesmo?

Confira o vídeo abaixo com sons uterinos:

The video cannot be shown at the moment. Please try again later.

E você, mamãe? Têm, ou já teve, muita dificuldade em colocar o seu bebê para dormir? Compartilhe com a gente suas dicas!

Qual a melhor posição para deixar o bebê na hora de dormir?

De bruços, barriga para cima ou de lado? Que dúvida, não é mesmo? Uma das principais incertezas da mais nova mamãe é a posição do bebê para dormir.

Nos anos 90, a recomendação era colocar o bebê para dormir de bruços, pois assim ele poderia virar a cabeça caso regurgitasse. Já alguns pediatras discordam e dizem que o melhor é de lado – com um apoio para com que não se vire – para evitar um possível risco de o bebê aspirar o leite regurgitado e também por ser melhor para os bebês que sofrem com refluxo gastroesofágico.

As duas posições têm seus prós, mas também têm seus contras. O bebê que dorme de bruços respira o mesmo ar que expirou, ou seja, inala um ar rico em gás carbônico e pobre em oxigênio, o que pode vir a causar asfixia. Isso também ocorre com os adultos, porém eles conseguem mudar de posição durante o sono. O recém-nascido não.

A posição lateral deve ser bem posicionada e acomodada, porque uma vez que o bebê rolar e virar, ele correrá maior risco de sufocação e asfixia.

A posição de barriga para cima é uma das mais defendidas por especialistas da saúde, mas também ainda não é consenso. Alguns defendem a posição, pois é preferível o bebê se engasgar a se sufocar, pois com o engasgamento o refluxo do bebê será a tosse, que logo chamará a atenção dos pais.

Uma campanha da Pastoral da Criança foi lançada para conscientizar as mães que a posição de barriga para cima é a mais segura para o bebê, diminuindo em 70% o risco de morte súbita, segundo a campanha. O site da Pastoral da Criança traz bastante informação. Vale a pena a visita: www.campanha.pastoraldacrianca.org.br

Algumas dicas para evitar riscos:

– Não superaqueça o bebê. Evite agasalhá-lo demais na hora de dormir.
– Evite paninhos, almofadas, travesseiros bichos de pelúcia ou brinquedos, pois esses itens podem vir a sufocar o bebê.
– Na hora de escolher o berço, prefira os que tenham estrado com a possibilidade da posição anti-refluxo, ou seja, com inclinação entre 15° a 30° graus.
– Não coloque o seu bebê para dormir na cama junto aos pais. Ele corre o risco de ser sufocado se o adulto virar sobre ele.

Sempre procure um pediatra de sua confiança para tirar quaisquer dúvidas sobre o posicionamento do seu bebê na hora de dormir.

E você? Por qual posição você opta para deixar o seu bebê dormir? Compartilhe com a gente!